Pedaços de Mim
Precisava juntar meus pedaços, escolhi as palavras...
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Meu Diário
14/06/2017 09h39
QUARTA-FEIRA, 14 DE JUNHO DE 2017

Imagem relacionada

 

QUARTA-FEIRA, 14 DE JUNHO DE 2017

Essa noite mamãe não passou bem. Nem o oxigênio aumentava a saturação dela e , além disso a pressão estava muito baixa. Ela ficava com os olhos abertos e acho que de tão fraca não conseguia fechar, ou talvez estivesse se sentindo agoniada.  Isso que me deixa louca, saber que ela está sofrendo e não consegue dizer nada. Estamos todos juntos dela, fazendo o que pensamos que podemos, mas na realidade ela está sozinha com seu sofrimento, pois não pode se comunicar, nos dizer se está sofrendo dor ou angústia. Mas a gente vê pelo olhar que ela está angustiada. Eu sei que está e isso acaba comigo e meus irmãos. Os médicos de Barretos disseram-nos que ela ia ficar só dormindo e não ia sofrer. Mas eles nos enganaram, mamãe está sofrendo sim  e não sabemos o que fazer por ela, senão ligar o oxigênio, dar remédio para dor, conversar com ela. Isso não vai aliviar o seu sofrimento. Só Deus pode fazer isso e eu peço que ele faça porque mamãe, mulher guerreira, calma e sábia que foi não merece tamanha dor.  Eu não quero ficar sem minha mãezinha, mas vê-la sofrer assim é pior que a dor da perda.  Mas o tempo de Deus é diferente do nosso e ele sabe o momento de acabar com esse sofrimento, que talvez seja necessário para evoluir a alma de mamãe. Não sei. Quero ser sábia o bastante para pensar assim, mas coração de filha não tem razões.  Enfim... Seguir...


Publicado por Sonia de Fátima Machado Silva em 14/06/2017 às 09h39
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.